LISTA DE EXAMES

Potenciais Evocados

Os Potenciais Evocados são exames que avaliam vias importantes da condução nervosa no corpo humano.  Toda informação das sensibilidades visual, auditiva e sensitiva (esta última compreendendo as modalidades de tato, vibração, pressão e posição) precisa ser levada até o cérebro para que haja a percepção adequada daquele estímulo. Algumas doenças afetam as vias que conduzem estas informações, fazendo com que haja uma interrupção desta transmissão ou até mesmo a transmissão de uma informação errada (causando sensações desagradáveis que não deveriam ocorrer quando há estimulação sensorial).

Da mesma forma, os comandos cerebrais para a ativação de um músculo (ou um grupo de músculos) devem ser conduzidos do cérebro até os nervos periféricos, e daí para os músculos. Algumas doenças também podem afetar essas vias, causando problemas no comando de alguns movimentos.
 
Como é feito o exame de Potencial Evocado?
Os potenciais evocados são realizados de acordo com a via que será estudada, a saber:
Potencial Evocado Visual – estímulo visual através de imagens em uma tela ou em óculos (Goggles), e captação das respostas através de eletrodos colocados no couro cabeludo.
Potencial Evocado Auditivo – estímulo auditivo utilizando sons padronizados, com fones de ouvido, e captação das respostas através de eletrodos colocados no couro cabeludo.
Potencial Evocado Somato-Sensitivo – estímulo elétrico sobre a pele e captação das respostas ao longo do Sistema Nervoso.
Potencial Evocado Motor – estímulo magnético no crânio e captação da resposta nos músculos dos membros.
 
Preparação para o exame:
A pele do local a ser examinado será limpa e livre de cremes ou óleos pelo técnico ou médico que fará o exame. Também deve estar íntegra - ferimentos podem ser avaliados pela equipe médica e técnica para indicar o possível reagendamento do exame, quando necessário. O objetivo destas medidas sempre será proteger o paciente.
Edema (inchaço) importante do membro pode dificultar o exame – nesse caso, o médico avalia no dia do exame se é possível realiza-lo com qualidade, ou se medidas precisam ser adotadas para preparar melhor o paciente para o exame (como uso de meias elásticas na noite anterior ao exame, manutenção dos membros inferiores elevados e realização do exame no primeiro horário da manhã).
Não é necessário e nem recomendável o jejum antes do exame. Da mesma forma, nenhuma medicação precisa ser suspensa para realizar o exame. 
A presença de marcapasso cardíaco não impede a realização dos exames de Potencial Evocado Visual, Auditivo e Somato-Sensitivo, mas contra-indica a realização do Potencial Evocado Motor.   É de responsabilidade do paciente informar sobre a presença de marcapasso (esta informação é requerida no formulário de entrada do paciente na clínica). A presença de marcapasso com desfibrilador automático contra-indica a realização de Potencial Evocado Motor e também requer cuidados especiais quando da realização do Potencial Evocado Somato-Sensitivo - é indicada a realização do exame com acompanhamento técnico pela empresa que fornece o marcapasso com desfibrilador – nesta hipótese, o paciente deve agendar a presença do técnico da empresa durante o exame, através do telefone que se encontra na carteirinha do marcapasso – que deve estar sempre junto do paciente.
 
Explicação sobre o diagnóstico do exame:
Investigação de diagnósticos como a Esclerose Múltipla,  Mielopatias (doenças que acometem a medula espinhal), alguns Tumores de Nervos e Doença do Neurônio Motor são os mais frequentemente encaminhados para avaliação por Potenciais Evocados diversos.
A Esclerose Múltipla é uma doença neurológica crônica, autoimune (na qual o mecanismo de defesa do organismo ataca o Sistema Nervoso Central), que acomete tanto o cérebro, quanto o tronco cerebral e a medula espinhal. Os sintomas variam de acordo com a função que seria determinada pelo local acometido. A doença pode ocorrer de várias formas, sendo a mais comum a apresentação em surtos (com início agudo de sintomas como perda visual, de força, de sensibilidade ou de equilíbrio), e todos os Potenciais Evocados podem ser utilizados para avaliação destas lesões. O tratamento evoluiu muito nos últimos anos, e hoje é possível a escolha de várias opções terapêuticas de acordo com a avaliação médica.
As Mielopatias são doenças que acometem a medula espinhal, podendo ser devido a: compressões por hérnias, tumores, traumas, infartos, infecções ou inflamações, entre outras. Os sintomas podem variar de somente perda de sensibilidade até paraplegia ou tetraplegia, com ou sem alterações de esfíncteres (incontinência e/ou retenção, urinária e/ou fecal). Quando o médico suspeita de uma mielopatia muitas vezes é necessário avaliar que vias estão comprometidas, informação esta que pode ser obtida através da realização de Potenciais Evocados Somato-Sensitivos ou Motores de membros superiores e/ou membros inferiores.
Dentre os Tumores de Nervos, os que acometem o nervo auditivo ou vestibular (do equilíbrio) são os mais frequentemente encaminhados para avaliação com Potencial Evocado Auditivo (obs.: o Potencial Evocado Auditivo também pode ser utilizado para investigação de outras patologias). O paciente pode apresentar perda auditiva e fraqueza na face (do mesmo lado da perda de audição), esta última em função da proximidade destes nervos com o nervo facial, dentro do crânio.

A Doença do Neurônio Motor também pode ser avaliada pelo Potencial Evocado Motor, que fornece informações sobre o acometimento das vias corticoespinhais (que transmitem os comandos cerebrais para os nervos periféricos, e daí para os músculos).