LISTA DE EXAMES

Eletroneuromiografia

A Eletroneuromiografia consiste na avaliação dos nervos, músculos e junção neuromuscular através de estudos de condução nervosa e da eletromiografia de agulha. Para os estudos de condução nervosa são necessários estímulos elétricos sobre a pele, que são toleráveis na grande maioria das vezes, inclusive por crianças e idosos. Os nervos estudados variam de acordo com o tipo de exame solicitado (membros superiores, membros inferiores ou face, por exemplo) e com a suspeita clínica do médico que solicitou o exame. O estudo de agulha é necessário na maioria dos casos, e nesta fase do exame não há mais estímulos elétricos – a agulha é inserida no músculo a ser examinado, e é solicitado ao paciente que realize uma contração muscular leve. 
 
Preparação para o exame:
A pele do local a ser examinado (braços, pernas, face) deve estar limpa e livre de cremes ou óleos. Também deve estar íntegra - ferimentos podem ser avaliados pela equipe médica e técnica para indicar o possível reagendamento do exame, quando necessário. O objetivo destas medidas sempre será proteger o paciente.
Edema (inchaço) importante do membro pode dificultar o exame – nesse caso, o médico avalia no dia do exame se é possível realiza-lo com qualidade, ou se medidas precisam ser adotadas para preparar melhor o paciente para o exame (como uso de meias elásticas na noite anterior ao exame, manutenção dos membros inferiores elevados e realização do exame no primeiro horário da manhã).
Não é necessário e nem recomendável o jejum antes do exame. Da mesma forma, nenhuma medicação precisa ser suspensa para realizar o exame, a não ser que seja orientado pelo médico assistente (casos especiais – pacientes em anticoagulação ou em investigação de Miastenia Gravis devem informar a recepção no agendamento, para melhor orientação). 
A presença de marcapasso cardíaco não impede a realização do exame, mas implica em cuidados especiais – é de responsabilidade do paciente informar sobre a presença de marcapasso (esta informação é requerida no formulário de entrada do paciente na clínica). A presença de marcapasso com desfibrilador automático obriga à realização do exame com acompanhamento técnico pela empresa que fornece o marcapasso com desfibrilador – nesta hipótese, o paciente deve agendar a presença do técnico da empresa durante o exame, através do telefone que se encontra na carteirinha do marcapasso – que deve estar sempre junto do paciente.
 
Explicação sobre o diagnóstico do exame:
Diagnósticos muito comuns, como a Síndrome do Túnel do Carpo, as Radiculopatias (compressões radiculares) cervicais ou lombo-sacras, e a Polineuropatia Periférica, formam o dia-a-dia do consultório neurofisiológico.
A Síndrome do Túnel do Carpo é a neuropatia compressiva mais comumente encontrada no estudo eletroneuromiográfico dos membros superiores (braços) e caracteriza-se pela compressão do nervo mediano no pulso, em um local chamado Túnel do Carpo. Os sintomas mais comuns são a dor e o formigamento nas mãos que predominam durante a noite, e anestesia nas pontas dos dedos, entre outros. Existem vários graus de acometimento do nervo, e esta informação é fornecida no laudo da eletroneuromiografia para que o médico que acompanha o paciente possa decidir qual é a melhor opção terapêutica.
As dores cervicais (cervicalgias ) e lombo-sacras (lombalgias ou lombociatalgias) também podem ser acompanhadas de compressão e/ou lesão das raízes cervicais e lombo-sacras. No caso da cervicalgia a dor pode irradiar-se do pescoço para os membros superiores (braços), podendo causar também formigamento e perda de força. As lombociatalgias cursam com dor lombar que irradia para os membros inferiores (pernas) ou até mesmo dor somente nos membros inferiores, sem dor lombar, e também podem ocasionar sintomas como formigamento, perda de força, câimbras e dificuldade para caminhar.
A Polineuropatia Periférica é uma condição caracterizada pelo acometimento de vários nervos periféricos, muitas vezes com evolução ascendente (sintomas começam primeiro nos pés, depois nas pernas e mãos) e pode causar sintomas como formigamento, diminuição da sensibilidade tátil, câimbras, perda de força, dificuldade para caminhar (com insegurança para caminhar) e dor. 
Muitas outras doenças podem ser avaliadas pela eletroneuromiografia. Na dúvida, consulte sempre seu médico.